Tratamento para Depressão

Como saber se eu tenho depressão?

 

A depressão é uma doença como outra qualquer que exige tratamento. Ela causa prejuízos graves na vida do paciente em diversos aspectos, como a vida profissional e relacionamentos afetivos. Todos nós nos sentimos tristes ou desanimados ao longo da vida e isso é normal. Quando essa tristeza se intensifica e causa danos a vida cotidiana de uma pessoa é sinal de que ela buscar o tratamento. 

O Transtorno Depressivo Maior (TDM) tem prevalência acima de 10%, sendo uma das principais causas de suicídio nos últimos tempos. Além disso, é uma condição médica comum que pode apresentar-se de forma crônica e recorrente, desencadeando incapacitações biopsicossocias. Frente a isso, passa-se a pensar em intervenções efetivas e duradouras para esse transtorno. A Terapia Cognitivo-Comportamental se propõe a tal com técnicas estruturadas, tendo sua efetividade demonstrada em inúmeras pesquisas.

 

Cerca de 18% das pessoas vão apresentar depressão em algum período da vida. Quando o quadro se instala, se não for tratado, costuma levar vários meses para desaparecer. Depressão é também uma doença recorrente. Quem já teve um episódio na vida, apresenta cerca de 50% de possibilidades de manifestar outro; quem teve dois, 70% e, no caso de três quadros bem caracterizados, esse número pode chegar a 90%.

 

Quais os principais sintomas da depressão?

 

Os sintomas da depressão são muito variados, indo desde as sensações de tristeza, pensamentos negativos até as alterações da sensação corporal como dores e enjôos. Contudo para se fazer o diagnóstico é necessário um grupo de sintomas centrais:

  • Perda de energia ou interesse
  • Humor deprimido
  • Dificuldade de concentração
  • Alterações do apetite e do sono
  • Lentificação das atividades físicas e mentais
  • Sentimento de pesar ou fracasso

Os sintomas corporais mais comuns são sensação de desconforto no batimento cardíaco, constipação, dores de cabeça, dificuldades digestivas. Períodos de melhoria e piora são comuns, o que cria a falsa impressão de que se está melhorando sozinho quando durante alguns dias o paciente sente-se bem. Geralmente tudo se passa gradualmente, não necessariamente com todos os sintomas simultâneos, aliás, é difícil ver todos os sintomas juntos. Até que se faça o diagnóstico praticamente todas as pessoas possuem explicações para o que está acontecendo com elas, julgando sempre ser um problema passageiro.

Outros sintomas bastante comuns incluem:

 

  • Pessimismo
  • Dificuldade de tomar decisões
  • Dificuldade para começar a fazer suas tarefas
  • Irritabilidade ou impaciência
  • Inquietação
  • Achar que não vale a pena viver; desejo de morrer
  • Chorar à-toa
  • Dificuldade para chorar
  • Sensação de que nunca vai melhorar, desesperança...
  • Dificuldade de terminar as coisas que começou
  • Sentimento de pena de si mesmo
  • Persistência de pensamentos negativos
  • Queixas freqüentes
  • Sentimentos de culpa injustificáveis
  • Boca ressecada, constipação, perda de peso e apetite, insônia, perda do desejo sexual